COLUNA TEXTOS VIDA IMAGENS RECADOS

Decidida reforma do Ministério

Assessores categorizados do Presidente da República informam que Sarney já se decidiu pela reforma do seu Ministério a ser realizada entre fevereiro e março do próximo ano. Seria constituída a equipe que, liberta de contingenciamentos partidários e da influência de governadores, acompanharia o chefe do governo no seu último ano e atravessaria com ele a campanha sucessória e a escolha do futuro Presidente. Os partidos, como se sabe, afastaram-se expressa ou implicitamente de responsabilidade no governo e os governadores, depois da eleição de novembro e dos entreveros em torno da dívida externa dos Estados, pensam em recuperar seu prestígio rompendo com Sarney ao invés de insistir em se fortalecer usando dos favores da presidência.

Sarney já fez uma opção em matéria sucessória, a de atacar os candidatos da esquerda que aponta como revolucionária e, em conseqüência, a de favorecer na medida das suas forças um candidato de centro. No momento há tendência notória dos [...]
11/12/1988

Eu sou datilógrafo desde os 11 anos de idade, formado pela Escola Remington de Teresina. Eu sempre fui muito rápido na máquina. Eu tinha que pegar discursos enormes de Hitler, de Mussolini. Me passavam pelo telefone e eu ia batendo à máquina. Levava horas...

Carlos Castello Branco, o repórter do Brasil
Texto de Zózimo Tavares

"O Piauí teve, sim, outros expoentes, mas foi Carlos Castello Branco, o menino da Rua da Glória, a nossa glória maior”

Durante mais de meio século, ele foi o repórter político do Brasil. Um repórter que soube interpretar o país, na agonia de duas ditaduras e na esperança de duas redemocratizações; no suicídio de um presidente da República (Getúlio Vargas), na renúncia de outro (Jânio Quadros), na deposição de mais um (João Goulart) pelas armas e no impeachment de outro (Fernando Collor) pelas armações. [+]

Ao metre
Texto de Merval Pereira

No dia 25, o jornalista Carlos Castello Branco, uma espécie de patrono dos colunistas políticos brasileiros, o maior entre nós todos, teria feito 90 anos. Reproduzo aqui trechos do prefácio que escrevi para a reedição de seu livro clássico “Os militares no poder”, da Editora Record. E adianto que brevemente estarei lançando um livro, pela mesma editora, com o título de “O lulismo no poder”, uma homenagem ao mestre. [+]

Na seção TEXTOS você encontra todas as "Colunas do Castello" publicadas diariamente entre os anos de 1963 a 1993, além de entrevistas, discursos e correspondências. [+]

Os fatos narrados de forma precisa, clara e direta.
Desde Jânio Quadros até Fernando Henrique Cardoso.
[+]