COLUNA TEXTOS VIDA IMAGENS RECADOS

A porta estreita

Brasília — Apesar do esforço da lei de manter o status quo partidário nos dois Estados que se vão fundir, não é difícil prever que, ao fim de quatro anos de interventoria federal e quando chegar a hora de se completar a integração das duas unidades numa nova unidade, MDB e Arena se apresentarão ali substancialmente diferentes nos seus quadros e na sua orientação. Quatro anos de uma interventoria da Revolução, ou seja, de um Governo formalmente e de fato vinculado ao Governo federal, parecem suficientes para melhorar a situação da Arena, que hoje seria minoritária numa soma das forças partidárias nos dois Estados. Não há dúvida de que a oportunidade será aproveitada para que surjam novas definições partidárias e quem não tiver um mandato em jogo procurará o leito natural da sua vocação — se essa for a da solidariedade com o Poder.

A legislação da fusão, por sua vez, irá contrariar interesses e promover reaglutinação de grupos políticos e sociais em torno de novas [...]
09/05/1974

"Em matéria de liberdade de imprensa, o que há a fazer, se pretende a restaurar a democracria, é devolvê-la na íntegra. Os jornalistas, como os demais cidadãos, são responsáveis pela segurança nacional."
declaração de Castello Branco em janeiro de 1971

Carlos Castello Branco, o repórter do Brasil
Texto de Zózimo Tavares

"O Piauí teve, sim, outros expoentes, mas foi Carlos Castello Branco, o menino da Rua da Glória, a nossa glória maior”

Durante mais de meio século, ele foi o repórter político do Brasil. Um repórter que soube interpretar o país, na agonia de duas ditaduras e na esperança de duas redemocratizações; no suicídio de um presidente da República (Getúlio Vargas), na renúncia de outro (Jânio Quadros), na deposição de mais um (João Goulart) pelas armas e no impeachment de outro (Fernando Collor) pelas armações. [+]

Ao metre
Texto de Merval Pereira

No dia 25, o jornalista Carlos Castello Branco, uma espécie de patrono dos colunistas políticos brasileiros, o maior entre nós todos, teria feito 90 anos. Reproduzo aqui trechos do prefácio que escrevi para a reedição de seu livro clássico “Os militares no poder”, da Editora Record. E adianto que brevemente estarei lançando um livro, pela mesma editora, com o título de “O lulismo no poder”, uma homenagem ao mestre. [+]

Na seção TEXTOS você encontra todas as "Colunas do Castello" publicadas diariamente entre os anos de 1963 a 1993, além de entrevistas, discursos e correspondências. [+]

Os fatos narrados de forma precisa, clara e direta.
Desde Jânio Quadros até Fernando Henrique Cardoso.
[+]