COLUNA TEXTOS VIDA IMAGENS RECADOS

Respostas a uma sondagem

Brasília (Sucursal) — O falecido Silveira Sampaio, em sátira amena às antigas obsessões políticas de Pedro Dantas, comentarista do Diário Carioca, desafiou seus ouvintes de televisão a que adivinhassem sôbre o que escreveria no dia seguinte o jornalista — se sôbre o 24 de agôsto de 1954 ou se sôbre o 11 de novembro de 1955. A deposição de Getúlio Vargas e a deposição de Café Filho eram o objeto da permanente preocupação de Pedro Dantas que sôbre ambas especulou ao infinito.

Hoje não temos sequer essa alternativa. Resta-nos apenas um tema e por mais que isso possa constranger o Senador Filinto Muller não há ainda como evitar o exame do episódio que desencadeou e que pretendeu dar por encerrado. Na verdade o episódio superou o personagem e se agora se recorre ao nome do líder do Govêrno no Senado será apenas pela facilidade de identificação do tema pôsto irreversivelmente em debate.

Já se sabe que o Senador se conformou com a decisão que pôs fim à discussão [...]
11/08/1971

"Quero morrer livre como nasci."

Carlos Castello Branco, o repórter do Brasil
Texto de Zózimo Tavares

"O Piauí teve, sim, outros expoentes, mas foi Carlos Castello Branco, o menino da Rua da Glória, a nossa glória maior”

Durante mais de meio século, ele foi o repórter político do Brasil. Um repórter que soube interpretar o país, na agonia de duas ditaduras e na esperança de duas redemocratizações; no suicídio de um presidente da República (Getúlio Vargas), na renúncia de outro (Jânio Quadros), na deposição de mais um (João Goulart) pelas armas e no impeachment de outro (Fernando Collor) pelas armações. [+]

Ao metre
Texto de Merval Pereira

No dia 25, o jornalista Carlos Castello Branco, uma espécie de patrono dos colunistas políticos brasileiros, o maior entre nós todos, teria feito 90 anos. Reproduzo aqui trechos do prefácio que escrevi para a reedição de seu livro clássico “Os militares no poder”, da Editora Record. E adianto que brevemente estarei lançando um livro, pela mesma editora, com o título de “O lulismo no poder”, uma homenagem ao mestre. [+]

Na seção TEXTOS você encontra todas as "Colunas do Castello" publicadas diariamente entre os anos de 1963 a 1993, além de entrevistas, discursos e correspondências. [+]

Os fatos narrados de forma precisa, clara e direta.
Desde Jânio Quadros até Fernando Henrique Cardoso.
[+]