COLUNA TEXTOS VIDA IMAGENS RECADOS

Alternativa do Govêrno seria Ato Adicional

BRASÍLIA (Sucursal) — O Deputado Djalma Marinho, ao renunciar ontem à presidência da Comissão de Justiça da Câmara, deu o tom de emoção cívica que haverá de caracterizar daqui por diante a resistência dos deputados às pressões do Govêrno visando a obter o sacrifício de uma prerrogativa essencial dos Parlamentos.

E' possível que o discurso, cuja massa foram o sentimento de honra e a compreensão dos deveres políticos, não mude um só voto no plenário, mas a verdade é que êle sustentará a fôrça arregimentada, dentro da Arena, para se opor ao Govêrno e dará a cada um que votar contra o pedido de licença a consciência de que pratica, ao lado de um ato político, urna ação moral.

Depois dêsse discurso será mais difícil ainda ao Govêrno levar ao plenário da Câmara aquela sensação de pânico, que muda votos e anula intenções mais fracas. As decisões estão tomadas no íntimo de cada um, na prévia e consolidada convicção de que, se a sorte do regime estiver na [...]
11/12/1968

O José Aparecido era a principal influência dentro do governo do Jânio Quadros. Depois do Jânio, era ele quem mandava

Carlos Castello Branco, o repórter do Brasil
Texto de Zózimo Tavares

"O Piauí teve, sim, outros expoentes, mas foi Carlos Castello Branco, o menino da Rua da Glória, a nossa glória maior”

Durante mais de meio século, ele foi o repórter político do Brasil. Um repórter que soube interpretar o país, na agonia de duas ditaduras e na esperança de duas redemocratizações; no suicídio de um presidente da República (Getúlio Vargas), na renúncia de outro (Jânio Quadros), na deposição de mais um (João Goulart) pelas armas e no impeachment de outro (Fernando Collor) pelas armações. [+]

Ao metre
Texto de Merval Pereira

No dia 25, o jornalista Carlos Castello Branco, uma espécie de patrono dos colunistas políticos brasileiros, o maior entre nós todos, teria feito 90 anos. Reproduzo aqui trechos do prefácio que escrevi para a reedição de seu livro clássico “Os militares no poder”, da Editora Record. E adianto que brevemente estarei lançando um livro, pela mesma editora, com o título de “O lulismo no poder”, uma homenagem ao mestre. [+]

Na seção TEXTOS você encontra todas as "Colunas do Castello" publicadas diariamente entre os anos de 1963 a 1993, além de entrevistas, discursos e correspondências. [+]

Os fatos narrados de forma precisa, clara e direta.
Desde Jânio Quadros até Fernando Henrique Cardoso.
[+]