COLUNA TEXTOS VIDA IMAGENS RECADOS

Para Covas, primeira ano é mais fácil

Brasília (Sucursal) — O líder do MDB, Sr. Mário Covas, não concorda com a observação do Marechal Costa e Silva de que o primeiro ano do seu Govérno devesse ser o mais difícil. Para êle, ao contrário, êsse período inicial seria fatalmente o mais fácil, pois no curso dêle o Govêrno contava com um largo crédito de confiança que normalmente se dá às experiências novas. Entende o Sr. Covas que o Presidente Costa e Silva não correspondeu às esperanças que êle próprio despertara, consumindo o capital de otimismo acumulado sem fazer qualquer das aberturas democráticas antecipadas por tôda a sua equipe.

Ao chegarmos à etapa final do primeiro ano, o que se verifica, segundo o líder da Oposição, é que o sistema montado pelo Govêrno Castelo Branco sobrevive, já agora com a adesão declarada dos que se haviam prontificado a modificá-lo e a humanizá-lo. Alude o Sr. Mário Covas a declarações de um "prócer castelista", que êle diz ser o Sr. Roberto Campos, segundo as quais o Govêrno [...]
02/12/1967

O povo não tem uma consciência política muito nítida. Ele é muito arrastado pelos acontecimentos. No dia 24 de agosto, o povo estava contra Getúlio, então quando Getúlio suicidou-se, o povo desfilou no Palácio do Catete para homenagea-lo, chorando na maior emoção.

Carlos Castello Branco, o repórter do Brasil
Texto de Zózimo Tavares

"O Piauí teve, sim, outros expoentes, mas foi Carlos Castello Branco, o menino da Rua da Glória, a nossa glória maior”

Durante mais de meio século, ele foi o repórter político do Brasil. Um repórter que soube interpretar o país, na agonia de duas ditaduras e na esperança de duas redemocratizações; no suicídio de um presidente da República (Getúlio Vargas), na renúncia de outro (Jânio Quadros), na deposição de mais um (João Goulart) pelas armas e no impeachment de outro (Fernando Collor) pelas armações. [+]

Ao metre
Texto de Merval Pereira

No dia 25, o jornalista Carlos Castello Branco, uma espécie de patrono dos colunistas políticos brasileiros, o maior entre nós todos, teria feito 90 anos. Reproduzo aqui trechos do prefácio que escrevi para a reedição de seu livro clássico “Os militares no poder”, da Editora Record. E adianto que brevemente estarei lançando um livro, pela mesma editora, com o título de “O lulismo no poder”, uma homenagem ao mestre. [+]

Na seção TEXTOS você encontra todas as "Colunas do Castello" publicadas diariamente entre os anos de 1963 a 1993, além de entrevistas, discursos e correspondências. [+]

Os fatos narrados de forma precisa, clara e direta.
Desde Jânio Quadros até Fernando Henrique Cardoso.
[+]