COLUNA TEXTOS VIDA IMAGENS RECADOS

O regime do mau humor

Brasília — O Deputado Magalhães Pinto e outros interlocutores, cuja presença na área foi anotada pelo Ministro da Justiça, dispõem de poucos dias para tentar recompor o quadro democrático seriamente abalado pela mais recente crise de mau humor do regime a qual desencadeou ações de desespero na Oposição. Esse longo processo dito revolucionário caracteriza-se pelos sucessivos ataques de mau humor, até certa altura caracterizados como "surtos revolucionários" e, depois, como reações a pressões a fim de balizar a distensão ou a abertura.

O mau humor de algumas guarnições militares do Rio de Janeiro levou o Presidente Castello Branco a editar o Ato n° 2 e a dissolver os Partidos políticos. Em 1968, o mau humor de Generais e Ministros impôs ao Marechal Costa e Silva a edição do Ato 5, o recesso do Congresso, a retomada do expurgo, a doença, a morte e a substituição da Constituição outorgada por seu antecessor com referendo do Congresso.

O mau humor no curso do [...]
15/12/1981

"Evidentemente nem a ARENA nem o MDB são Partidos políticos"

Carlos Castello Branco, o repórter do Brasil
Texto de Zózimo Tavares

"O Piauí teve, sim, outros expoentes, mas foi Carlos Castello Branco, o menino da Rua da Glória, a nossa glória maior”

Durante mais de meio século, ele foi o repórter político do Brasil. Um repórter que soube interpretar o país, na agonia de duas ditaduras e na esperança de duas redemocratizações; no suicídio de um presidente da República (Getúlio Vargas), na renúncia de outro (Jânio Quadros), na deposição de mais um (João Goulart) pelas armas e no impeachment de outro (Fernando Collor) pelas armações. [+]

Ao metre
Texto de Merval Pereira

No dia 25, o jornalista Carlos Castello Branco, uma espécie de patrono dos colunistas políticos brasileiros, o maior entre nós todos, teria feito 90 anos. Reproduzo aqui trechos do prefácio que escrevi para a reedição de seu livro clássico “Os militares no poder”, da Editora Record. E adianto que brevemente estarei lançando um livro, pela mesma editora, com o título de “O lulismo no poder”, uma homenagem ao mestre. [+]

Na seção TEXTOS você encontra todas as "Colunas do Castello" publicadas diariamente entre os anos de 1963 a 1993, além de entrevistas, discursos e correspondências. [+]

Os fatos narrados de forma precisa, clara e direta.
Desde Jânio Quadros até Fernando Henrique Cardoso.
[+]