COLUNA TEXTOS VIDA IMAGENS RECADOS

Esquinas de perdição

Brasília — Desde os tempos em que o Senador Daniel Krieger presidia a Arena, não se ouvia no país, pronunciado por um presidente do Partido do Governo, discurso tão expressivo e tão carregado de mensagem quanto o do Senador José Sarney ao instalar o PDS no Rio Grande do Sul. O ex-representante do Rio Grande continua a exercer o seu fascínio sobre o representante do Maranhão e sua lição de altivez deverá ter inspirado, em Porto Alegre, a manifestação do seu sucessor remoto na chefia do Partido oficial.

Como o Senador Krieger não falava gratuitamente, pelo simples prazer de pregar as suas idéias e com isso contrariar alguns pró-homens do sistema em que se entrosava, deve supor-se que o Senador José Sarney, que vinha da Bahia, não falou também por falar. Ele reagia a algo concreto e fazia uma mise-au-point destinada às diversas frentes do seu Partido para alertar a maioria quanto ao que uns poucos pensam e para tentar aliciar seus companheiros na defesa dos [...]
29/07/1980

"Em matéria de liberdade de imprensa, o que há a fazer, se pretende a restaurar a democracria, é devolvê-la na íntegra. Os jornalistas, como os demais cidadãos, são responsáveis pela segurança nacional."
declaração de Castello Branco em janeiro de 1971

Carlos Castello Branco, o repórter do Brasil
Texto de Zózimo Tavares

"O Piauí teve, sim, outros expoentes, mas foi Carlos Castello Branco, o menino da Rua da Glória, a nossa glória maior”

Durante mais de meio século, ele foi o repórter político do Brasil. Um repórter que soube interpretar o país, na agonia de duas ditaduras e na esperança de duas redemocratizações; no suicídio de um presidente da República (Getúlio Vargas), na renúncia de outro (Jânio Quadros), na deposição de mais um (João Goulart) pelas armas e no impeachment de outro (Fernando Collor) pelas armações. [+]

Ao metre
Texto de Merval Pereira

No dia 25, o jornalista Carlos Castello Branco, uma espécie de patrono dos colunistas políticos brasileiros, o maior entre nós todos, teria feito 90 anos. Reproduzo aqui trechos do prefácio que escrevi para a reedição de seu livro clássico “Os militares no poder”, da Editora Record. E adianto que brevemente estarei lançando um livro, pela mesma editora, com o título de “O lulismo no poder”, uma homenagem ao mestre. [+]

Na seção TEXTOS você encontra todas as "Colunas do Castello" publicadas diariamente entre os anos de 1963 a 1993, além de entrevistas, discursos e correspondências. [+]

Os fatos narrados de forma precisa, clara e direta.
Desde Jânio Quadros até Fernando Henrique Cardoso.
[+]