COLUNA TEXTOS VIDA IMAGENS RECADOS

Médici encontra-se com a política

BRASÍLIA (Sucursal) — A decisão do Presidente Médici de comparecer à Convenção Nacional da Arena e filiar-se ao Partido representa um nôvo passo de fintegração do Chefe do Govêrno na missão política que passou a exercer desde o momento em que aceitou sua candidatura. Com o correr dos dias o Presidente irá se afastando certamente dos preconceitos oriundos do seu feitio profissional contra a atividade política, a que se dedica hoje com tôda a intensidade e na plenitude. Êle é agora o chefe da política nacional, o seu condutor e seu intérprete, e o êxito ou o malôgro a que chegar estarão na dependência direta de sua adaptação aos métodos e processos da política.

A negação da política costuma ser simples desconhecimento da natureza de uma atividade à qual se entregam habitualmente os que a negam, mas pode ser fruto de uma deliberada resistência aos processos democráticos de govêrno. No caso do General Médici, que a não negou mas que se declarou, no seu primeiro discurso, [...]
08/11/1969

"Em matéria de liberdade de imprensa, o que há a fazer, se pretende a restaurar a democracria, é devolvê-la na íntegra. Os jornalistas, como os demais cidadãos, são responsáveis pela segurança nacional."
declaração de Castello Branco em janeiro de 1971

Carlos Castello Branco, o repórter do Brasil
Texto de Zózimo Tavares

"O Piauí teve, sim, outros expoentes, mas foi Carlos Castello Branco, o menino da Rua da Glória, a nossa glória maior”

Durante mais de meio século, ele foi o repórter político do Brasil. Um repórter que soube interpretar o país, na agonia de duas ditaduras e na esperança de duas redemocratizações; no suicídio de um presidente da República (Getúlio Vargas), na renúncia de outro (Jânio Quadros), na deposição de mais um (João Goulart) pelas armas e no impeachment de outro (Fernando Collor) pelas armações. [+]

Ao metre
Texto de Merval Pereira

No dia 25, o jornalista Carlos Castello Branco, uma espécie de patrono dos colunistas políticos brasileiros, o maior entre nós todos, teria feito 90 anos. Reproduzo aqui trechos do prefácio que escrevi para a reedição de seu livro clássico “Os militares no poder”, da Editora Record. E adianto que brevemente estarei lançando um livro, pela mesma editora, com o título de “O lulismo no poder”, uma homenagem ao mestre. [+]

Na seção TEXTOS você encontra todas as "Colunas do Castello" publicadas diariamente entre os anos de 1963 a 1993, além de entrevistas, discursos e correspondências. [+]

Os fatos narrados de forma precisa, clara e direta.
Desde Jânio Quadros até Fernando Henrique Cardoso.
[+]